Diretoria da CNC defende unicidade sindical

AddToAny buttons

Compartilhe
13 A 14 set 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Tema foi discutido na reunião mensal da Confederação, no Rio de Janeiro
Tema foi discutido na reunião mensal da Confederação, no Rio de Janeiro
Crédito
Paulo Rodrigues

13/09/2019

A possibilidade do fim da unicidade sindical no Brasil foi um dos temas tratados pela Diretoria da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) em sua reunião de setembro, realizada no dia 12, no Rio de Janeiro. O assunto gerou um forte consenso entre os líderes empresariais sindicais do comércio presentes à reunião, conduzida pelo presidente José Roberto Tadros: a proposta de adoção da pluralidade sindical, tal como está sendo apresentada e discutida, representaria o fim do sistema confederativo e deve ser firmemente contestada pelas entidades sindicais empresariais.

“O pluralismo sindical existe em alguns dos países mais avançados do mundo”, afirmou o 1º vice-presidente da CNC, Valdeci Cavalcante. “Mas é um pluralismo civilizado, não como estão querendo implantar aqui”, acrescentou, lembrando que a adesão do Brasil à Convenção 87 da Organização Internacional do Trabalho, que trata da liberdade sindical, nunca foi ratificada pelo Congresso Nacional.

Pauta prioritária

Segundo Valdeci Cavalcante, com a retomada do tema, a recomendação da CNC, conforme orientação do presidente Tadros, é que os líderes e entidades que compõem o Sistema Comércio se posicionem contra a ideia do pluralismo sindical, da forma como ele está sendo apresentado. “Imaginem o dono de uma empresa, seja indústria ou comércio, tendo que negociar com vários sindicatos, alguns até da mesma categoria. Seria uma torre de babel”, alertou o 1º vice-presidente da CNC.

Para Ivo Dall’Acqua Junior, diretor da Confederação, a questão deve ser encarada com toda a prioridade pelas entidades que integram o Sistema Comércio. “É o mais importante assunto do ano”, disse Dall’Acqua. “Do jeito que está, a proposta simplesmente desmonta o sistema confederativo”, completou.

Campanha institucional

Outra pauta discutida na reunião de Diretoria da CNC foi o planejamento das ações de Comunicação. O gerente executivo de Comunicação da Confederação, Elienai Câmara, apresentou as ações que estão sendo realizadas de forma integrada com as Federações, o Sesc e o Senac. Cada presidente e representante das Federações do Comércio recebeu um folder com as informações locais de alcance e presença na mídia impressa e digital. Também foi apresentada a proposta de campanha institucional que está sendo preparada para reforçar a imagem e mostrar a importância da atuação do Sistema CNC-Sesc-Senac para a população e o desenvolvimento do Brasil.