Presidente Tadros participa de live em comemoração aos 75 anos da CNC

AddToAny buttons

Compartilhe
13 A 14 nov 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Na pauta, a trajetória de uma instituição profundamente identificada com o desenvolvimento do comércio e do País
Na pauta, a trajetória de uma instituição profundamente identificada com o desenvolvimento do comércio e do País
Crédito
CNC

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) está completando 75 anos. Para contar um pouco destas sete décadas e meia, o presidente da Confederação, José Roberto Tadros, participou, em 30 de novembro, de uma live no Instagram da entidade, em que foi celebrado este dia histórico.

Tadros enfatizou que, em toda a sua história, a CNC trabalhou em defesa dos interesses dos empresários dos segmentos que ela representa, além de levar capacitação e serviços para todo o País, por meio dos seus braços sociais, o Sesc e o Senac. O presidente abriu a live contando um pouco do começo de sua trajetória no Sistema, em 1967, na Fecomércio-AM. “O estado tinha como grande atividade os produtos regionais, que estavam em decadência; então, tivemos que traçar um plano para interiorizar as ações do Sistema para atividades fixas e depois criamos a primeira unidade móvel fluvial do Senac no Brasil, a balsa-escola. Com o passar do tempo, transformamos a instituição em uma potência financeira.”

Criação da CNC

O presidente da CNC lembrou que, após a Segunda Guerra, em 1945, e com a Constituição de 1946, o presidente Getulio Vargas viu a necessidade da criação de instituições para melhorar a vida da população. Pensando nisso, os empresários, por meio da CNC, criaram o Senac, com o objetivo de preparar mão de obra qualificada para inserir essa massa de trabalhadores que chegava do campo no mercado de trabalho das cidades; e o Sesc, com a finalidade de trazer esporte, lazer, saúde e educação formal para os comerciários e suas famílias.

Constituição de 1988

“Em 1987, havia um movimento para acabar com o Sesc, e tivemos uma figura muito importante que evitou que isso acontecesse, o senador Bernardo Cabral, que na época como deputado federal foi o relator da Constituinte”, prosseguiu Tadros.

“Eu estava em uma reunião com o Washington Coelho, consultor Jurídico da CNC na época. Nessa reunião, ele se lamentou que nós estávamos correndo o risco de perder o Sesc, pois havia uma indisposição em relação à instituição”, lembrou Tadros. “Então, foi sugerido ao Washington falar com o Bernardo Cabral, e ele disse que seria impossível. Eu disse ao Washington que conseguiria, marquei um encontro para o dia seguinte, e ele nos disse que nossas ponderações e solicitações seriam aceitas.”

Antonio Oliveira Santos

“Assim que me tornei presidente da Federação do Amazonas, pude contar com uma boa relação com o presidente Antonio Oliveira Santos, pois ele sempre se preocupou com o Amazonas, e comecei uma construção para tornar a Federação mais forte. O presidente de honra Oliveira Santos é uma pessoa muito importante para todos nós, quero deixar o meu muito obrigado e agradecer por tudo o que ele fez nestes 38 anos”, agradeceu o presidente Tadros.

Pandemia

“Neste período de pandemia, nós fizemos diversas ações, doando máscaras, alimentos, cestas básicas, testes de covid-19, e ajudamos bastante as equipes médicas de hospitais públicos e privados.  Estamos trabalhando para passar por essa crise com os alunos estudando com o apoio da tecnologia remota.”

A força do comércio e de serviços

“Atualmente, o comércio e os serviços representam 73% do PIB nacional. Meus parabéns para todos nós, que fazemos parte deste Sistema, colaboradores, diretores, presidentes de Federação, Sindicatos e empresários.”