Atuação integrada reforça importância da Câmara de Gêneros Alimentícios

AddToAny buttons

Compartilhe
Luiz Gastão Bittencourt, ao microfone, ao lado do coordenador da CBCgal, Álvaro Luiz Furtado
Crédito
Christina Bocayuva

Em reunião realizada na Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a Câmara Brasileira do Comércio de Gêneros Alimentícios (CBCgal) iniciou uma nova fase em seu funcionamento e atuação. Integração e mais proximidade ao dia a dia dos empresários serão prioridades, conforme destacou o vice-presidente Administrativo, Luiz Gastão Bittencourt na abertura dos trabalhos, ao lado do novo coordenador da Câmara, Álvaro Luiz Bruzadin Furtado e dos integrantes indicados pelas federações do comércio de todo o Brasil.

“O presidente Tadros tem enfatizado a necessidade de estarmos cada vez mais próximos do dia a dia dos empresários e, ao mesmo tempo, trazermos os empresários para junto do Sistema Comércio”, disse Luiz Gastão. “As Câmaras do Comércio, como a CBCgal, terão um importante papel nessa ligação que queremos tornar ainda mais forte e representativa”, completou o vice-presidente, que é também coordenador das Câmaras Brasileiras do Comércio da CNC.

Um só organismo

Além de trazer as necessidade e questões de cada segmento, em um cenário de mudanças na legislação, as Câmaras do Comércio terão um importante papel para tornar a atuação do Sesc e do Senac cada vez mais sintonizada com as necessidades dos empresários, reforçando seu papel como fatores de ampliação da competitividade e eficiência por meio da qualificação profissional e das ações voltadas para a qualidade de vida dos trabalhadores do comércio.

O novo coordenador da Câmara, Álvaro Furtado, afirmou se sentir estimulado com o trabalho que se inicia e reforçou a ideia de unidade e trabalho integrado. “Somo um só organismo, empresas, sindicatos, federações e confederação, atuando na defesa dos interesses do comércio de bens, serviços e turismo. No nosso caso mais específico o setor de gêneros alimentícios”, disse Furtado. “A responsabilidade de cada um de nós é dar o melhor de si para trazer a esta casa, que é a cúpula do nosso setor, as reinvindicações e necessidades que temos presentes. Vou me esforçar ao máximo para cumprir essa honrosa missão e tenho certeza de que vou poder contar sempre com a CNC”.