Comissões debatem com ministro do Meio Ambiente críticas ao Fundo Amazônia

AddToAny buttons

Compartilhe
06 A 07 ago 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Comissões debatem com ministro do Meio Ambiente críticas ao Fundo Amazônia
Comissões debatem com ministro do Meio Ambiente críticas ao Fundo Amazônia
Crédito
Carlos Terra

As comissões de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia; e de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável debatem em 7 de agosto o “Fundo Amazônia” com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A presença do ministro foi solicitada por diversos parlamentares, entre eles os deputados Edmilson Rodrigues (Psol-PA) e Nilto Tatto (PT-SP).

Os parlamentares querem esclarecimentos acerca das mudanças realizadas na gestão do Fundo Amazônia e nas regras de utilização de seus recursos, bem como sobre declarações de inconsistências encontradas em projetos financiados pelo fundo.

Criado em 2008 para receber doações destinadas a ações de conservação e combate ao desmatamento na floresta, o Fundo recebe doações de aplicação não reembolsável em ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento, além de promover a conservação e o uso sustentável da Amazônia Legal.

Além disso, até 20% dos recursos do fundo podem ser destinados ao desenvolvimento de sistemas de monitoramento e controle do desmatamento no restante do Brasil e em outros países com florestas tropicais.

“Apesar de os dados de controle não apresentarem problemas, o ministro Salles declarou para a imprensa que encontrou irregularidades em ¼ dos contratos do Fundo Amazônia. O ministro não citou quais foram os contratos, nem os contratados ou como foi realizada a análise e quem foi responsável pelo trabalho de verificação”, afirma o Edimilson Rodrigues.

Ele acrescenta que Salles também afirmou que havia se reunido com os embaixadores dos países financiadores que concordaram em realizar mudanças na gestão do Fundo. “Porém, a informação foi contestada no mesmo dia, pela embaixada da Alemanha e da Noruega”, continua Rodrigues.

A reunião será realizada às 10 horas, no plenário 2.

Fonte: Agência Câmara