Flávio Arns defende qualificação de jovens para reduzir desemprego

AddToAny buttons

Compartilhe

Preocupado com o índice de desemprego registrado no País, principalmente entre os adolescentes e jovens, o senador Flávio Arns (Rede-PR), defendeu nesta quarta-feira (0304) a necessidade de maior qualificação dessa parcela da população. Ele informou que mais de 50% dos jovens e adolescentes do Brasil não estudam e não trabalham, o que na sua avaliação, exige ainda mais do poder público atenção às medidas que possam incentivar maior acesso à educação profissionalizante.

O senador lembrou exemplos dessas iniciativas como o programa Jovem-Aprendiz, os convênios entre empresas e escolas, os estágios e os cursos ofertados pelas entidades do Sistema S. "Você ter um diploma de qualificação ou de profissionalização de um Senac, na área do comércio, dos serviços, do turismo, ou do Senai, por exemplo, na área da indústria, ou do Senar, na área da agricultura, só esse certificado já abre portas", argumentou.

Flávio Arns destacou que no Paraná, acompanha muito de perto o Sistema S e que é um sucesso absoluto. São milhares de jovens, de adolescentes, de profissionais que estão melhorando as suas condições para vida.

Nas áreas do Sesc e Senac, por exemplo, além dos grandes trabalhos sociais destaca-se grandes programas, um dos exemplos é o Mesa Brasil do Sesc, que para a população com alguma dificuldade de se manter, é um instrumento de alavancagem de cidadania.

No Senac existem os cursos profissionalizantes e de tecnólogos que formam profissionais para atuação em diversas áreas no mercado de trabalho.

E por fim ressaltou que o Sistema S é o conjunto de instituições corporativas voltadas a treinamento profissional, pesquisa e assistência técnica e social. Ao todo, são nove instituições, estabelecidas pela Constituição Federal, cada uma voltada a uma área de atuação, como indústria, comércio, agronegócio e cooperativismo.

 

Agência Senado com adaptações