Sumário Econômico - 1576

AddToAny buttons

Compartilhe
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Sumário Econômico
Crédito
PV/Gecom

Confiança do comércio recua pelo segundo mês - O desempenho frustrante da economia brasileira no início de 2019 reduziu o percentual de empresários que percebem melhora corrente na economia. Em maio, a maioria dos varejistas brasileiros (52,7%) ainda considera o ritmo de atividade melhor do que há um ano – percentual menor do que o registrado há três meses (59,9%). Ainda assim, esse percentual se mostra maior do que o registrado em maio de 2018 (42,7%).  Assim como na avaliação das condições correntes, as expectativas dos empresários foram puxadas para baixo através de um menor grau de otimismo em relação ao estado geral da economia brasileira nos próximos meses. À exceção da avaliação dos investimentos nas empresas (+0,7%), as perspectivas de contratações de funcionários (-1,2%) e a avaliação do nível de estoques (-0,2%) deram sinais de deterioração na passagem de abril para maio. Após oito meses de avanços mensais, a confiança dos empresários do comércio, que já havia recuado em abril, voltou a retroceder no mês de maio. A queda desse importante componente da reativação dos investimentos tem se mostrado compatível com as sucessivas revisões das expectativas para o crescimento da economia brasileira em 2019. Ainda assim, todos os componentes do Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) revelam uma situação mais favorável do que há um ano.

Turismo brasileiro gera 3.714 novos empregos em abril - Enquanto os indicadores do desempenho da economia brasileira apontaram para o início do ciclo recessivo no primeiro trimestre do ano em curso, com o dado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (queda de 0,2% do Produto Interno Bruto – PIB entre janeiro e março de 2019 contra outubro e dezembro de 2018), confirmando as previsões negativas elaboradas pela Fundação Getulio Vargas (-0,1%) e pelo Banco Central (-0,7%), de acordo com a pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que tem como base as estatísticas do emprego formal do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) disponibilizadas pela Secretaria do Trabalho, o setor de turismo gerou 3.714 novos postos de trabalho – resultado da diferença entre admissões e demissões ocorridas naquele mês.

Mercado espera crescimento do PIB de 1,13% - No último relatório Focus divulgado pelo Banco Central (31/05), a mediana das expectativas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve queda e alcançou 4,03%. No curto prazo, as projeções dos analistas para o IPCA são de 0,26% para maio, 0,24% para junho e 0,20% para julho. As cinco instituições que mais acertam – TOP 5 – projetam IPCA de 0,26%, 0,24% e 0,28%, respectivamente. A mediana das projeções dos analistas para o IPCA de 2020 manteve-se em 4,0%; e, para 2021 e 2022, a estimativa é de 3,75%. A estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019 é de 1,13%, apesar de ser a décima oitava semana com redução nessa projeção, ainda mostra uma melhora nesse indicador em comparação aos resultados de 2018 e 2017, quando houve crescimento de 1,1% em cada. Caso se realize, será o terceiro resultado positivo após dois anos seguidos de retração, em 2016 e 2015, as quedas foram de 3,3% e 3,5%, respectivamente. No primeiro trimestre do ano, o crescimento foi de 0,5% em relação ao mesmo período do ano anterior, contudo, na comparação com o quarto trimestre de 2018, houve queda de 0,2%. Para 2020, também se espera uma evolução, entretanto de maior proporção, com avanço de 2,50% na economia, mesma estimativa tanto para 2021 quanto para 2022.

Balança comercial brasileira em maio de 2019 - A balança comercial brasileira de maio registrou saldo positivo de US$ 6,422 bilhões, resultado de exportações de US$ 21,394 bilhões e importações de US$ 14,972 bilhões. As exportações apresentaram melhor desempenho em maio, com aumento nas quantidades vendidas ao exterior de produtos como petróleo e carnes, o que impulsionou o resultado mesmo com queda nos valores dos produtos vendidos em geral. Houve um incremento de 5,7% nas exportações em maio, na comparação com maio de 2018. No acumulado de 2019, as exportações apresentaram valor de US$ 93,543 bilhões, 1,1% (US$ 93,604 bilhões) inferior ao resultado de 2018. Já as importações somaram US$ 70,737 bilhões, aumento de 0,8%, sobre o mesmo período anterior, US$ 69,476 bilhões.