Sumário Econômico - 1579

AddToAny buttons

Compartilhe
Capa Sumário Econômico - n. 1579
Crédito
PV/Gecom

Desemprego mais que conjuntural - Do ponto de vista econômico, os dois maiores problemas da economia brasileira nos últimos anos têm sido o desequilíbrio das contas públicas e a elevada taxa de desemprego. O contingente de 13,4 milhões de desempregados retratados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), levantada trimestralmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), só será reduzido com a reativação da economia brasileira nos próximos anos combinada ao aumento da produtividade do trabalho. A herança negativa do desemprego resultante da última crise econômica de 2015/2016, seguida por um período razoavelmente longo de baixo crescimento, produziu uma taxa de subutilização da força de trabalho equivalente a 25% da população economicamente ativa. A atual conjuntura econômica, ainda pouco favorável à expansão vigorosa do emprego, e as mudanças estruturais na demanda por trabalho levantam uma questão central quanto à reabsorção das pessoas que perderam o emprego durante a última crise. Afinal de contas, dada a produtividade atual do trabalho, quanto a economia brasileira deveria crescer para ter capacidade de absorver todo o estoque atual de trabalhadores desempregados? Veja a resposta para essa pergunta e mais sobre esse tema no Sumário Econômico nª 1.579.

Crédito do sistema financeiro representa 47,2% do PIB - Dados mais recentes divulgados pelo Banco Central mostraram que o saldo das operações de crédito do sistema financeiro cresceu 0,6% em maio de 2019 contra o mês imediatamente anterior, após estabilidade em abril. O saldo total dos empréstimos e financiamentos alcançou o valor de R$ 3,3 trilhões no último resultado, representando 47,2% do Produto Interno Bruto (PIB). No acumulado dos últimos 12 meses encerrados em maio deste ano, a variação foi de +5,5%, 4,2 p.p. acima da variação de +1,3% observada em 2018. Corroborando com essa taxa positiva, em relação à comparação anual, nos primeiros cinco meses do ano, houve um avanço de 0,9% no crédito, a terceira variação positiva seguida.

Pense primeiro nas pequenas - A Confederação Nacional da Indústria (CNI) realizou, no dia 26 de junho deste ano, o seminário Pense Primeiro nas Pequenas, sexto ano consecutivo de um evento que tem sido um sucesso e podido reunir políticos, empresários, empreendedores, autoridades da República, representantes de entidades empresariais, jovens interessados, entre outros. O evento dividiu-se em painéis com temas atuais e relevantes, tais como: O papel das MPE na recuperação do crescimento; Oportunidades do marketing digital para alavancar negócios; e Avanços e tendências do crédito. Este último foi dividido em subtemas, como: Finanças de proximidade e novas tecnologias; Cadastro Positivo; BNDES e o crédito para as MPE; Crescimento regional por meio do crédito; Fintechs e o crédito digital; Empresa Simples de Crédito; e As novas opções de crédito e o papel das garantias no acesso ao crédito.