Fecomércio-DF negocia com o governo alternativas para amenizar crise

AddToAny buttons

Compartilhe
27 A 28 mar 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
A entidade está em constante diálogo com o Executivo. “Desde o início da crise nós já nos reunimos com o governador Ibaneis e com o secretário de Economia do DF, André Clemente, para sugerir algumas medidas que amenizassem os prejuízos dos empresários”, diz Francisco Maia
Crédito
Fecomércio-DF

27/03/2020

Desde o dia 13 de março, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou a pandemia do novo coronavírus, a Fecomércio-DF trabalha junto ao governo do Distrito Federal (GDF) para diminuir os impactos negativos da crise na economia, especialmente nos setores de comércio, serviços e turismo. Uma das principais ações foi a obtenção de uma linha de crédito orientado, no valor de até R$ 1 bilhão voltado para os empresários filiados aos sindicatos empresariais da Federação. Além disso, também foi criada uma sala de situação para acompanhar informações sobre o novo coronavírus.

O presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia, diz que a entidade está em constante diálogo com o Executivo. “Desde o início da crise nós já nos reunimos com o governador Ibaneis e com o secretário de Economia do DF, André Clemente, para sugerir algumas medidas que amenizassem os prejuízos dos empresários”, informa. “Sugerimos adiamento do prazo de recolhimento do IPTU por 120 dias e redução da alíquota modal do ICMS de 18% para 17%, além de autorização para férias coletivas”, diz. Segundo Francisco Maia, o governo elogiou o setor produtivo pela iniciativa e viu as sugestões com bons olhos.

Também foi solicitada a prorrogação de parcelas vencidas do IPVA por 120 dias; adiamento por 180 dias dos prazos de pagamentos celebrados com a Companhia Imobiliária de Brasília (TERRACAP), decorrentes de vendas em licitação ou programas de desenvolvimento econômicos e a suspensão por 120 dias, do pagamento de débitos de natureza tributária em processo de amortização por parcelamento, ou REFIS, além de o adiamento por 120 dias do pagamento de contas de energia, água e esgoto e outros pontos