Fecomércio-RO apoia Fórum internacional Amazônia + 21

AddToAny buttons

Compartilhe
23 A 24 set 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Crédito
Fecomércio-RO

23/09/2019
 
O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac IFPE de Rondônia, Raniery Araujo Coelho, que também é vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), participou do lançamento do Fórum internacional Amazônia + 21, projeto que envolve pesquisa, tecnologia e investimentos para o desenvolvimento de novas cadeias produtivas, com diálogo permanente sobre negócios sustentáveis para Amazônia.  
 
O Fórum está programado para maio de 2020 e foi apresentado oficialmente no Memorial Rondon, na capital Porto Velho, como uma prévia das ações que estão previstas pela Agência de Desenvolvimento de Porto Velho, idealizadora do evento. A Prefeitura também já disponibilizou um site, o amazonia21.org, para apresentação de informações sobre as inscrições de trabalhos e outros detalhes.
 
“Sediar um Fórum internacional que vai tratar do desenvolvimento sustentável da nossa Amazônia é fundamental para envolver toda sociedade e debater o assunto, especialmente em um momento que precisamos trabalhar a conscientização para a preservação, agregando a possibilidade de negócios inovadores e sustentáveis com a rica biodiversidade que temos na região Amazônica”, afirmou Raniery Coelho.  
 
Para o presidente, a iniciativa, cujo planejamento é anterior às recentes questões levantadas com o aumento dos focos de incêndio, “é uma clara demonstração de que existe permanente preocupação com a preservação e com a educação para se trilhar novos caminhos do desenvolvimento sustentável em Porto Velho”.
 
O dirigente empresarial lembrou também que o Governo de Rondônia, na década de 1980, elaborou o primeiro zoneamento econômico-ecológico da América do Sul. “Já vamos para a terceira aproximação do zoneamento e, por isso mesmo, preservamos mais de 40% da área territorial. Existe muita desinformação sobre as ações que são feitas de preservação, e, numa estiagem como a que enfrentamos agora, é natural que aumentem os focos de incêndio, o que não representa aumento do desmatamento”, destacou.
 
O Fórum Internacional Amazônia +21 tem como proposta o diálogo entre governos, setor produtivo, sociedade civil, cientistas, pesquisadores e empreendedores. Serão abordados quatro eixos temáticos: desenvolvimento sustentável; recursos e projetos; ciência e tecnologia; e sociedade e cultura.