Fecomércio-SE apoia o Natal Iluminado 2020

AddToAny buttons

Compartilhe
13 A 14 nov 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Já começou oficialmente a quarta edição do evento que já se tornou tradição para a população de Aracaju
Já começou oficialmente a quarta edição do evento que já se tornou tradição para a população de Aracaju
Crédito
Fecomércio-SE

As luzes da esperança se acenderam na capital sergipana. Já começou oficialmente a quarta edição do Natal Iluminado, um momento já tradicional para a população de Aracaju (SE). O evento passou por mudanças para ser realizado em tempos de pandemia, mas segue com o intuito de trazer o brilho e a alegria do Natal para os sergipanos, iluminando tanto a Rotatória das Palmeiras quanto o Centro Comercial de Aracaju.

O Sistema Fecomércio-Sesc-Senac-SE é um das entidades apoiadoras do evento. Para o presidente do Sistema Fecomércio-SE, Laércio Oliveira, lembrou que buscou-se incentivar os comerciantes e o comércio. “Estamos indo de loja em loja para motivar os empresários a colocar sua decoração, estender o horário da sua loja, para que ele possa ter, de fato, os meses de novembro e dezembro como os grandes dias para o seu negócio, melhorar as vendas e recuperar o prejuízo dos meses em que as lojas ficaram fechadas. Essa esperança em dias melhores nos inspira”, enfatizou.

O coordenador do Natal Iluminado, Alex Garcez, ressaltou que a reorganização da iluminação levou em conta a pandemia que ainda existe, mas, ao mesmo tempo, mantendo o espírito natalino. “Esse Natal Iluminado 2020 vem com toda a ornamentação aérea justamente para não trazer aglomerações por causa da pandemia. O Sistema Fecomércio-Sesc-Senac, toda a sua Diretoria e seu Conselho vêm resgatar esse espírito de Natal, essa esperança que se inicia, essa esperança das pessoas. É resgatar, trazer aos empresários as oportunidades de fechar negócios, empregos e trabalho para os trabalhadores desempregados”, afirmou.